you know who i am

eu tenho muito para vos dizer. nestas cartas eu digo-vos muito. sim, muito! eu sei que a leitura é difícil, devido aos vários erros de ritmo. erros? err... fui interrompido. erros! muito para vos dizer. muitos erros! assim é que é. tenho para vos dizer muitos erro. meus, com certeza que gostarão de os saber, portanto leiam os arquivo. erro. muitos. que bom, não é? muito para vos dizer no nada permanente. bem. existem argumentos muito bons para cinema e peças de teatro famosas por não terem erros. respira! erro! ah! eu não quero ser feliz, mas até me daria jeito aproximar-me disso. contudo, afasto-me. afasta, afasta: neo-salazarismo barato. os filhos da puta ainda vivem no esquecimento dos felizes idiotas. fui interrompido. ninguém se lembra, pois não? eramos para aí uns vinte mil idiotas, uns mais felizes do que outros e alguns a descobrir a diferença, de todo o país a ocupar a escadaria e a rua próxima. os cafés a ganharem dinheiro com as bicas e as cervejas e os bolos e as sandes de ovo frito em óleo queimado. pastores alemães muito educados e a gendarmerie à espera da ordem. zunga! foi bom. a merda é tão grande que cheiro mal. estou farto desta merda. de toda a merda. uma lombriga poderá salvar-me, mas não a estou a deixar. um homem de merda não se deixa salvar por uma lombriga. que conversa. flush!

Posted on August 29th, 2006, 20:32 by jm
permalink | * Comments (2) | Comment this post | Trackbacks (0)